domingo, 29 de maio de 2016

Diário de Palco: Virada Cultural edição 2016

Essa foi a minha 4ª edição na Virada - aliás, diga-se de passagem que foi nesse mesmo evento, em 2012 que fotografei pela primeira vez shows de Rock e decidi escolher isso para minha vida - e a pimeira vez ninguém esquece....... : Titãs - que estava com a divulgação da comemoração do Cabeça Dinossauro, Golpe de Estado, Star 61, Carro Bomba, o punk das Mercenárias e Black Oak Arkansas - tá tudo lá, registado na Fanpage / RocknaMochila 

Mas vamos ao que interessa.
Esse ano, eu iria ficar somente no "palco Rock", mas graças ao meu parça Chaps, dei uma diversificada no repertório.
Iniciei no Sábado com Plebe Rude, fomos para o palco Beneficiência Portuguesa assistir Marina Lima que infelizmente fez apenas uma participaçãozinha especial na apresentação do músico / eletrônica Strombo. Ela deixou bem claro "Gente, meu negócio é música eletrônica"  - pelo menos curtimos Pra Começar e À Francesa.  Ela tem esse outro projeto  que até pode soar muito bem, mas cantar seus hits 80 90 certamente será a cereja do bolo em cada apresentação, e era o que os fãs que estavam lá esperavam, e não entenderam nada quando ela saiu do palco com apenas "Valeu".

Tudo bem vai.. dava tempo de sobra de colar no Theatro Municipal de SP e conferir o show da eterna Ternurinha da Jovem Guarda, Wanderléa, que em plena forma deixa muita jovenzinha no chinelo. Impecável.
O Theatro cheio, pessoas tirando selfies, fotos no Red Carpet, registrando tudo que conseguia, afinal, esse não é um programa habitual da população. DEVERIA, mas não é.

No domingo, a atração mais esperada por mim, a banda Metrô, aquela do TI TI TI, Deixe seu recado ou ligue depois afinal, no balanço das horas tudo pode mudar, lembram? Canções que embalaram muito bailinho dos oitentistas de plantão...
Virginie Boutaud e banda estão de volta e nos fizeram voltar no tempo. Foi mágico. 
Após o show, ainda atenderam os fãs atrás do palco, selfies, abraços e recordações daquela época que marcou cada pessoa que estava lá.

Para finalizar o evento, conferimos Nação Zumbi na Júlio Prestes.
O backstage estava lotado, e a maioria dos presentes estavam em fila aguardando Criolo - que já tinha se apresentado - fazer o favorzinho de abrir a porta do camarim e recebê-los. Não sei se rolou pois eu só fui usar o banheiro e saí em seguida. Tá bom, antes encontrei o Bernard Trontin da banda The Young Gods dando sopa por lá e tirei uma chapa com ele: 

Photo? ~ ãhhn ~Photo ? ~ hhmmmm ~Take a picture? ~ Yeah! ~ThankU ! ~ De nada!




Nação Zubi levantou o astral da galera. Os fãs cantaram, dançaram lindamente. A banda protestou com a situação do país, contra Temer, apoiados pelo público.
A única coisa que me incomodou mesmo foi o jogo de luz escolhido. Aquelas luzes infernais atrás da banda e piscando na nossa cara deu nos nervos, rssss . É a inimiga número Um dos fotógrafos, mas dessa vez eu não estava fotografando - ainda bem.

No quesito público, achei muito mais vazia do que as edições passadas. Não sei se pela chuva que se deu no Sábado, programação ou violência. 
De qualquer forma, eu gostei dessa minha Virada Diversificada. As vezes é bom sair da caixa... O Rock n´Roll é minha vida... mas há vidas além da minha........... !!!

Os vídeos das apresentações estão no canal do Youtube..