domingo, 8 de janeiro de 2017

Revista Spin, Jan./1992 - NIRVANA - ‘Heaven Can’t Wait’


Retorne aos seus assentos, coloquem os cintos de segurança, e rezem: O Nirvana está em rota de colisão com o mundo.
Nevermind, o primeiro lançamento da banda em uma grande gravadora, explodiu inesperadamente nas paradas enquanto o seu perfil público se expandiu a um ritmo assustador. Com razão. Lembre-se da primeira vez que você ouviu uma música ou banda que te deixou totalmente feliz? Bem, esta banda faz isso. Nirvana faz jus ao seu nome - a menos que você não acredite na felicidade, nesse caso sinto pena de você.

O álbum ganhou ouro, e ainda desbancou o álbum duplo Use Your Illusion do Guns N' Roses em algumas lojas de discos. 
E o vídeo "Smells Like Teen Spirit" da banda conquistou a estreia mundial no  MTV’s 120 Minutes  praticamente inédito para uma banda que nunca tinha um vídeo mostrado na MTV. Todo mundo parece estar atingindo o Nirvana.

O vocalista / guitarrista-possivelmente atormentado Kurt Cobain, o baixista-maníaco - o cara realmente imponente Chris Novoselic e o baterista-natural da Virgínia - o cara seriamente divertido Dave Grohl estão mandando um som poderoso. Formado no noroeste pacífico, a música do Nirvana soa como um R.E.M. casado com Sonic Youth, enquanto tinha um caso com The Germs. 
Courtney Love de Hole descreve assim: "O Nirvana está criando um novo playground para todos nós".


O sucesso veio tão rapidamente para a banda que está sendo delicado lidar com as realidades de sua ascensão à proeminência. 
"Eu não consigo nem dizer a você a merda como quando Bleach [primeiro álbum do Nirvana, no Sub Pop] foi lançado. Eu não poderia nem nomear as músicas no álbum ", diz Cobain. "Nossa bio da gravadora não passava de uma grande mentira. Eles escreveram, mas era realmente chinfrim - eles me ligaram às sete da manhã. No fim, eles simplesmente nos deixaram escrever. Então nós fizemos a maior parte dela. "

"Você sabe o que eu acho que é ótimo?" Interpõe, Grohl. "As entrevistas em revistas inglesas, porque eles arrumam a gramática. Você é livre para arrumar qualquer de nossa gramática. Apenas nos faça parecer inteligentes."

O Nirvana foi formado em 1987 por Kurt Cobain, natural de Aberdeen, Washington, que viveu parte da infância em um parque de trailers com sua mãe garçonete e não ouvia música até atingir mais idade . Ele se juntou à Novoselic, e em 1989, compuseram o álbum Bleach, que foi gravado em três dias por US $ 600, repleto de niilismo, com um roupagem mais punk e rock melódico. A banda fez uma turnê, conseguiu um contrato com a DGC, viu muitos lançamentos piratas nas ruas, em 1990 contratou o baterista Grohl da banda Scream do punk-hardcore de DC, fez turnê na Europa com Sonic Youth, lançou Nevermind e provavelmente estará excursionando pelo resto de seus dias. Ou então, até que eles se escondam para escapar do brilho dos holofotes.

Cobain foi mal rotulado como "porta-voz de uma geração descontente". Ele não está interessado nesse trabalho. Suas letras têm um brilho de ingenuidade que mal contém sua raiva - mas as frases como  “I feel stupid and contagious / Here we are now, entertain us”, de "Smells Like Teen Spirit", surgem mais como vislumbres de seu mundo privado do que um grito para encorajar todas as massas.

"Definitivamente eu não quero ler as letras que meus ídolos de rock escrevem", diz Cobain. "Eu não presto atenção. Meu álbum favorito deste ano foi o Pod  da banda Breeders [de 1990]. Na verdade, minto, ouvi as letras de Kim Deal. Mas eu realmente não presto atenção ao que as pessoas escrevem. Mesmo as entrevistas, eu só levo ao pé da letra. Os únicos que eu já li e que realmente gostei foram aquelas do  Pixies e Butthole Surfers - além do que eu não consigo pensar em nenhuma que eu tenha terminado. "

Quando se trata de entrevistas da própria banda, Cobain diz: "Nós lidamos com tanto aborrecimento que começamos a inventar coisas." Mas, como qualquer banda que sai do nada, as histórias são contadas de qualquer maneira. Exemplo: Um rumor sobre um contrato assinado com a DGC por US $ 750.000 - o que seria a maior assinatura de um independente na história - foi, de acordo com Cobain, "Divulgado em cima de boatos. E então os números continuaram ficando maiores de modo que muitas pessoas acreditavam que tínhamos assinados por um milhão de dólares." Na verdade, a banda diz que o acordo foi de US $ 250.000, distribuídos por dois registros.

"E agora somos desprezados por pessoas que pensam que somos grandes estrelas do rock", diz Grohl. "Eles pensam que quando você assina com uma grande gravadora você tem todo esse dinheiro para gastar."

"Eu não entendia como o negócio da música funcionava quando eu era jovem", acrescenta Cobain. "Eu costumava amaldiçoar o Butthole Surfers por cobrar o valor de quinze dólares por ingresso. Agora eu obviamente entendo mais, mas com todas essas pessoas prestando atenção a gente sente um pouco como se estivéssemos no zoológico. Talvez isso poderia ser um artigo de isenção de responsabilidade: O que vamos fazer agora é deixar as crianças saberem que não nos vendemos. "

"Tipo, de agora em diante todos os nossos shows vão ser gratuitos", diz Grohl e ri.

"E vamos tocar com Fugazi por pedaços de legumes", diz Cobain, meio brincando. "Nunca vamos perder nossa ética punk."

"Não queremos apenas ser criados por ogros corporativos", lamenta Grohl.

Eles não precisam se preocupar. Embora haja uma riqueza de histórias coloridas sobre as travessuras da banda fora dos palcos, o Nirvana é dificilmente o produto de uma rebelião controlada de uma gravadora de rock corporativo. Em outras palavras, as brincadeiras da banda não são um truque para atrair a atenção, mas demonstram apenas como a banda é. Por exemplo, quando a MTV encenou um pre-game show de Twister em Boston entre o Nirvana, Smashing Pumpkins e Bullet LaVolta, Cobain lubrificou o corpo quase nu de Novoselic com óleo Crisco, e em seguida o baixista usou uma bandeira americana pendurada na parede para se limpar. "Esses atletas vieram e realmente foi uma bad vibe para mim", diz Novoselic. "Tipo," Ei, não faça isso com a nossa bandeira americana. "Então eu acabei tendo que ir com alguns guarda-costas para o clube."

Quando o Nirvana fez uma aparição na loja Tower Records, em Nova York, um prato de sanduíches de carne assada foi providenciado para a ocasião, o que deu origem a possível citação do ano: "Eu pensei que esses caras fossem uma banda alternativa, mas eles estão comendo carne. "


Tem mais. Cobain confundiu completamente sua gravadora usando a escolha múltipla na ortografia de seu nome: Kurdt, Curt e Kurt; Cobain ou Kobain. As histórias reais e imaginárias crescem descontroladas, como o fogo que colocaram nas cortinas do ônibus da turnê, os bêbados depravados dos bastidores, Grohl que passou o número de telefone de Chris Cornell (atualmente na Sub Pop) durante uma entrevista no ar, o produtor da turnê que está sendo questionado em Pittsburgh por um sofá queimado no clube, a banda chamou centenas de membros da platéia para o palco durante um show em St. Louis para escapar dos violentos seguranças, e assim por diante.

Não importa as histórias - é ver para crer. Ao vivo, esses caras arrasam. O Nirvana mostra que são repletos de agito, destruição, emoção, euforia dentro e fora do palco. Quem testemunha o final de alguns shows entende por que eles não podem fazer um bis - eles deixam pouco equipamento intacto. Eles são inflexíveis sobre tocar apenas para certa idade, ao ponto de adicionar um show extra em Boston, quando descobriram o show que eles realizaram não foi aberto a todos. Mas eles também irritaram uma multidão da Filadélfia por não fazer um bis, provocando vaias de "vendidos". Com ou sem bis, no final do dia o Nirvana ainda dá força total ao seu público. O que ajuda é que os membros da banda tenham passado tempo suficiente na estrada, porque lá o público é o seu melhor amigo - sem eles você está totalmente sozinho.

"Na maioria das vezes, ficávamos nas casas das pessoas que acabávamos de conhecer", diz Cobain. "Mas eu me lembro de uma vez no Texas na nossa primeira turnê que dormimos na beira de um lago onde haviam placas por toda parte dizendo cuidado com jacarés. Todos nós dormimos com bastões de beisebol ao lado, ou tentamos dormir. No meio da noite achamos que vimos um então saímos fora. "

Cobain tem uma tatuagem em seu braço. É o símbolo de K Records, que representa a gravadora independente de Olympia, Washington, dirigida por Beat Happening's Calvin Johnson. Este verão, Johnson ajudou a montar a Convenção Internacional do Pop Underground, onde, ao contrário de outras convenções de música, eles mostraram apenas novos talentos, além de realizar churrascos, desfiles e discotecagem. É muito puro.

Cobain diz: "É o evento do ano. Eu prometi meses atrás que nada iria e impedir de frequentá-lo - mas, infelizmente, este ano, perdemos porque tocamos no Reading Festival na Inglaterra. Mas eu tenho a tatuagem desde o verão passado. Ela foi feita em casa. Dave me ensinou.

"Você pode fazer apenas com uma agulha de costura regular, corda e um pouco de tinta da Índia", instrui Grohl. - Enrole a linha em volta da agulha, mergulhe-a na tinta e coloque-a dentro.

"Mas quando eu fiz isso, o fio se desenrolou", diz Cobain. "Então eu acabei espetando a agulha e derramando tinta por todo o meu braço."

"Dicas para manter-se ocupado", acrescenta Grohl. Além de tatuagens caseiras, o Nirvana está esperando o dia em que sua gravadora, a DGC, casa de muitas bandas em ascensão, fará um piquenique para que os membros da banda possam passar um tempo com os companheiros do selo, especialmente Nelson. Sonic Youth ficou um passo a frente nas apostas de Nelson quando visitaram os meninos loiros em turnê ano passado, mas este trio tem uma homenagem mais audaciosa em mente.

"Nelson tem um quarto que eles vão antes de cada show, onde desligam as luzes e meditam com queima de incenso", diz Grohl.


"Então nós vamos para o quarto de Nelson onde queimamos efígies deles antes de irmos para o palco", acrescenta Cobain.

"Um pouco como o quarto de Satanás", conclui Grohl.

Obviamente que mesmo assinando um contrato grande a diversão do Nirvana não parou. Em vez disso, tem servido o propósito de permitir que mais pessoas compartilhem a barulheira. 
Suas camisetas resumem: A versão mais atrasada ostenta orgulhosa o slogan kitty pettin flower SNIFFIN, BABY KISSIN CORPORATE ROCK WHORES.. Recentemente, um funcionário da DGC, que usava uma versão "crack-smokin" da camisa em um caixa eletrônico em L.A., foi solicitado pelo guarda a virar a camiseta do avesso, porque estava ofendendo as pessoas.

Para algumas pessoas comuns, as bandas favoritas do Nirvana permanecem na obscuridade: Vaselines, uma banda escocesa cuja música "Molly's Lips" muitas vezes abre os sets ao vivo do Nirvana, e o trio pop japonês Shonen Knife, que estará em turnê com eles na Europa. 
E, claro, os reis do metal melado The Melvins, cujo baterista Dale Crover tocou em "Paper Cuts" de Bleach e "Floyd the Barber" e passou um tempinho com eles na estrada, no período pré-Grohl - ocupam um lugar especial em seus Corações.

"Não há nenhuma banda que mudou minha perspectiva de música como os Melvins", diz Grohl. "Eu não estou brincando. Acho que eles são o futuro da música. "

"E o presente e o passado", acrescenta Cobain. "Eles devem ser reconhecidos por isso"

À medida que o Nirvana começa a traçar sua busca pela dominação do mundo, um projeto envolvendo um determinado grupo de metal é chocado.

"Nós vamos nos misturar com o Metallica. Dessa forma, eles usarão nossas camisetas e nós nos tornaremos um sucesso instantâneo ", diz o proeminente Cobain. Como se eles precisassem de ajuda.

Pensando bem, Cobain acrescenta: "Nós temos que dar a Kirk Hammett uma camiseta dos Melvins."

"Sim, porque não há nada mais pesado do que o Melvins", diz Grohl.


Matéria Original, por Lauren Spencer // January 1, 1992